Dulce Pombo

O Poder dos sonhos lúcidos (2/4)

Por Dulce Pombo em 23-12-2021

Tema Desenvolvimento Pessoal / Publicado na revista Nº 18
1959 visualizações

Olá, no último artigo “Sonhos são mensagens da tua Alma”, que podes ler (https://www.revistaespacoaberto.pt/artigo-detalhes.php?id=350) prometi que iria falar de vários tipos de sonhos. E, aqui estou eu com os Sonhos Lúcidos, estes enigmáticos cocriadores. 

Acompanhas-me? 

A clareza de estar “a navegar” dentro de um mundo inconsciente, cheio de símbolos e fora de uma realidade natural. Esta é a visão que o sonhador tem ao experienciar um sonho lúcido.

Diferente do sonho não lúcido, o indivíduo tem total consciência de que está dentro de um mundo onírico. E por mais incrível que pareça, em algumas situações o sonhador é capaz de alterar o percurso do sonho, tendo total controle sobre as suas ações.

E como para Jung – pai da psicologia analítica – as experiências que temos em sonhos, nos servem como o ponto de referência, que nos guia rumo ao nosso processo de desenvolvimento pessoal, os personagens, símbolos e cenários que aparecem num sonho lúcido, também nos trazem algumas respostas.




O que é que os sonhos lúcidos têm para nos dizer?

Será que por mantermos o controle das nossas ações no sonho lúcido é permitir que dentro do mundo onírico, possamos resolver os nossos próprios problemas que permeiam o nosso inconsciente?

Confere, mais adiante a resposta!

Segundo Stephen LaBerge, psicofisiologista e pioneiro no estudo científico sobre os sonhos desta natureza, “o sonho lúcido tem um potencial considerável na promoção do crescimento e do desenvolvimento pessoal, no aumento da confiança e na melhoria da saúde mental e física, além de facilitar a resolução de problemas de criatividade e ajudar a progredir no caminho do autocontrole”

Ou seja, assim como pensa Jung sobre os sonhos, em outras palavras LaBerge acredita o sonho lúcido tem o poder de “acordar” o indivíduo para a realidade que está a viver, fazendo-o caminhar em direção ao seu desenvolvimento pessoal.

Nas suas obras, ao referenciar Jung e o seu conceito de “sombra”, LaBerge deixa claro que o princípio básico de um sonho lúcido, está fundamentado no privilégio que o indivíduo tem de enfrentar seus próprios medos e mudar a sua realidade ao alterar o curso do sonho.

Para ele modificar o sonho, a ponto de resolver os conflitos que o cercam, permite que o indivíduo alcance a harmonia entre seu consciente e inconsciente.

E então, será o sonho lúcido, o nível mais alto de conhecimento que um indivíduo pode chegar sobre si próprio através dos sonhos?

Essa resposta fica ao teu critério. As outras tipologias de sonhos, também permitem que o indivíduo alcance um nível elevado de autoconhecimento. Tudo vai depender da interpretação e dos subsídios que o sonhador entregará ao terapeuta.

No entanto, pensando através da perspetiva de que todos os tipos de sonhos fornecem pistas sobre nosso autodesenvolvimento e que na sua grande maioria, essas pistas são complexas de serem desvendadas, considera-se que por estar em estado de consciência, o indivíduo em sonho lúcido é capaz de assimilar esses sinais de forma mais clara.




Os sonhos e a sua trajetória rumo à totalidade psíquica

Já deves estar cansado de saber que os sonhos, mediante a uma ajudinha do inconsciente, revelam aquilo que nossa consciência não é capaz de ver. Certo?

E que o indivíduo ao procurar respostas no seu sonho, busca conhecer-se melhor, a sua auto-realização e despertar a sua consciência, para ir de encontro àquilo que ele entende ser sua melhor versão. 

Para chegar a esse estágio, que podemos chamar de auto-realização plena ou processo de individuação, o indivíduo precisa percorrer um vasto caminho, alimentado por condições evolutivas que não se restringem apenas à análise de sonhos.

No entanto, o processo de individuação, ou seja, o alcance da totalidade psíquica humana, não pode ser percorrido seguindo os modos operacionais da consciência, mas sim do inconsciente que “dita as suas regras” por meio de simbologias e pistas.

E os sonhos, segundo Jung produzem pistas valiosas que contribuem para esse processo, de modo a orientar o indivíduo a conduzir de maneira correta o seu caminho rumo à totalidade psíquica.

Sendo assim - não sei se conseguiste perceber - apesar de todo o artigo estar pautado em uma única condição, que é o sonho lúcido, tudo o que está em volta de seu significado e importância, leva-nos a entender uma única coisa: toda a simbologia dos sonhos, toda a mensagem que o inconsciente envia, nada mais são que uma tentativa do Ego de alcançar a sua individuação e se tornar totalidade.

No próximo artigo falarei de sonhos premonitórios 

Intrigantes e transformadores são os sonhos numinosos

Dulce Pombo

PhD Sociologia

Estudos avançados em Psicologia Analítica Junguiana, Sonhos, Alquimia e Mitologia





ARTIGO SUGERIDO

«Atreve-te a fazer!» Para tornar-te “tu mesmo” é fundamental conhecer e experimentar o teu potencial!

«Atreve-te a fazer!» Para tornar-te “tu mesmo” é fundamental conhecer e experimentar o teu potencial!

Francesca Scanu
Por Francesca Scanu em Maio de 2021
Tema Desenvolvimento Pessoal / Publicado na revista Nº 20
163 visualizações

Bem vindos á rubrica Eudaimonia da revista Espaço Aberto !!

É um momento feliz para mim, em qualidade de coordenadora da rubrica, inaugurar este projeto que espero possa ser útil, ...
Ler mais

OUTRAS LEITURAS

Murmúrios de um Tempo Anunciado

Por Pedro Elias
Caminhos de Pax, Lda.
650 visualizações
Murmúrios de um Tempo Anunciado é um romance histórico que atravessa um dos períodos mais intensos do Cristianismo. De Décio a Constantino, das perseguições à instauração do dogma, de ...
Ler mais