Alicia Ferreira

Entrevista com Alicia Ferreira

Por Alicia Ferreira em Dezembro de 2021

Tema Consciência / Publicado na revista Nº 24
256 visualizações

EA - Quem é Alícia? 

Alicia  - O meu nome é Alícia Ferreira e tenho como formação-base a Enfermagem, onde trabalhei durante 3 anos na área hospitalar em Lisboa.

Contudo, o meu coração chamava-me para as Terapias Naturais e Holísticas.

Acabei por me debruçar sobre temas como nutrição consciente, naturopatia, consciência, emoções, meditação, yoga, aromaterapia, corpo energético, física quântica, relações conscientes, taoísmo, xamanismo, medicina tradicional chinesa e espiritualidade, mas foi no Tantra e na Sexualidade Consciente que encontrei o meu caminho.

Tendo um conhecimento sólido na área da psicologia e uma capacidade natural de empatizar e criar rapport com outros, vi-me naturalmente absorvida por esta abordagem holística, primeiro para me iniciar o meu processo de autocura, e depois para guiar outros no seu caminho de cura.

Depois de Enfermagem, qualifiquei-me em Reflexologia, Reiki - Nível II, Yang Sheng – Práticas de Longevidade e Saúde (Taoismo, Qigong Terapêutico, princípios da Medicina Tradicional Chinesa), Sabedoria Orgásmica Shamânica (Tantra e Shamanismo) com o aclamado Anand Rudra, ThetaHealing – Basic DNA, Coaching e Comunicação, A Sombra e a Luz (Chakras, Tantra & Shamanismo) com Anand Rudra, “Tantra é Amor” (Sexualidade Sagrada) com Valentina Cannavó. Participei também em diversos Congressos de Sexualidade Consciente de língua espanhola.

Como resposta à lacuna que sentia no sistema biomédico, tão exímio em atuar em situações de urgência e suprimir sintomas, mas que peca em ir à raíz dos problemas, decidi criar o projeto “Alícia Despertar Holístico” no final de 2018, para dar resposta a essa necessidade.

Nos últimos 3 anos viajei sozinha de mochila às costas pela Europa, América Latina e Índia, absorvendo conhecimentos e práticas ancestrais, e experienciando abordagens multiculturais para me reconectar com a minha sabedoria interna.

Em 2019 co-organizei um Retiro no Equador e trabalhei como Terapeuta Holística em Festivais no Panamá e em Portugal. 

Em 2020, voltei ao México, onde acabei por viver por 6 meses, trabalhei como Terapeuta Holística num hotel e iniciei o meu trabalho online.

No início de 2021, devido às circunstâncias sociais, acabei por me focar inteiramente no mundo digital e criei um projeto de transformação e empoderamento de mulheres “Despertar da Deusa Tântrica” – um programa online que ajuda mulheres que, após iniciar o seu caminho de autoconsciência, pretendem agora (re)significar a forma como vivem a sua sexualidade, desconstruir crenças e tabus, reconectar-se com o seu prazer, resgatar o seu poder pessoal, aprender a canalizar a sua energia sexual e redescobrirem com a sua Deusa Interior.

EA - Quando foi o seu despertar?

Alicia - Vindo da parte da ciência, posso dizer que antigamente não acreditava em nada que não pudesse ser comprovado pela mesma.

Em 2012 fui levada a experimentar uma sessão de Reiki (ainda que um pouco cética na altura), decidi ir aberta ao que viesse. Durante e após a sessão, as sensações que tive, assim como a leitura recebida pelo profissional, era inegável que havia algo para além do que conhecia e acreditava.

Foi então que dei início ao meu processo de “despertar espiritual”, onde aprendi a observar-me a mim mesma e a refletir sobre os meus pensamentos, as minhas ações, as minhas reações e acima de tudo a tomar responsabilidade pelas decisões que tomava para a minha vida! 

Aprendi a mergulhei em mim mesma e a reconectar-me com a minha verdade interior. Este reconhecimento permitiu-me constatar que o meu caminho passava (sim) pela saúde, mas numa vertente mais Holística, onde as Medicinas Naturais e as Terapias Energéticas assumiriam um lugar primordial. 


EA - Como se identificou com o Tantra?

Alicia - É curioso, a primeira vez que o Tantra me chamou à atenção foi há mais de 15 anos em que comprei um livro sobre este tema, contudo, seria anos mais tarde que o Tantra voltar-me-ia a chamar. 

Em 2018, numa fase em que já me permitia escutar o meu coração, fui parar ao Festival de Tantra em Portugal como voluntária, ainda sem saber muito bem porquê!

Foi então que conheci o professor Anand Rudra que me deu a conhecer o poder da energia sexual e o potencial que o Tantra pode trazer às nossas vidas. Rapidamente fiquei fascinada com todo o conhecimento que este professor trazia e decidi voar para o Dinamarca para o meu primeiro curso de Tantra & Xamanismo! 

Percebi que o Tantra é um caminho de despertar espiritual que nos ajuda a mergulhar na nossa essência, a desconstruir crenças limitantes, a reconectar com as nossas sensações corporais, a viver a vida em prazer, a cultivar a nossa energia sexual de forma autónoma e a canalizá-la para outros propósitos. 

EA - O que é o Tantra?

Alicia - O Tantra tem várias escolas que seguem linhas diferentes, pelo que a sua definição varia consoante a linhagem. Sendo uma filosofia ancestral, é um caminho de crescimento interior e espiritual, de empoderamento pessoal, de libertação de bloqueios e crenças limitantes, com consequente expansão da consciência.

O Tantra surgiu para dar resposta a algumas questões existenciais, como “Quem sou eu? Em que patamar estou na minha vida? Onde quero chegar?” e como tal, demanda um mergulho profundo para quem pretende conhecer a sua essência.

O Tantra possibilita à pessoa reconectar-se consigo mesma, com a sua verdade e com os seus sentidos. Permite reconhecer e reequilibrar os polos da energia “masculina” e energia “feminina” dentro de cada um de nós, procurando um equilíbrio saudável entre ambas. 

Segundo a filosofia tântrica, somos compostos por diferentes “corpos”, entre eles o corpo físico, energético, emocional e mental. Nas práticas tântricas, procuramos alinhar todos estes corpos através da auto-observação, da presença, da consciência e do autodiscernimento. 

A verdadeira presença, intenção, conexão e abertura são também conceitos trabalhados pelo Tantra, fundamentais para a vivência de uma sexualidade consciente e prazerosa.

Com o Tantra é possível trabalhar o nosso amor-próprio, auto-estima, autoconfiança e melhorar a nossa auto-imagem, que é precisamente o trabalho que faço.

Usar o Tantra como ferramenta de empoderamento ajuda-nos a fortalecer o nosso "pilar interno", para que possamo-nos sentir pessoas mais seguras, mais corajosas, mais fortes internamente, mais livres de crenças, mais empoderadas e mais merecedoras de viver esta vida em pleno e desfrutar do Prazer em todas as esferas da nossa vida!


EA - Quais são as diferenças entre a Sexologia e o Tantra?

Alicia - A Sexologia é uma diz respeito ao “estudo científico da sexualidade humana” e surgiu somente na segunda metade do século XIX. Um profissional de sexologia é alguém com formação em psicologia e especialidade em sexologia. Em sexologia podem ser abordados problemas de orientação sexual, problemas sexuais na relação com o parceiro, traumas, disfunções sexuais ou crenças na sexualidade. 

Quanto ao Tantra, é uma tecnologia e filosofia de vida milenar com mais de 10000 anos, que integra várias disciplinas holísticas, com diferentes linhagens. O Tantra que pratico recorre a ferramentas como a Meditação, a Respiração, o Yoga, o Ritualismo e por fim a Sexualidade Sagrada para trazer a autoconsciência, a presença, a atenção plena. Permite-nos conectar não só com o nosso corpo físico, mas também com as nossas emoções (corpo emocional), com os nossos pensamentos (corpo mental), com a nossa energia de vida (corpo energético), integrando-os em simultâneo através do cultivo da energia sexual. 

Quando aprendemos a cultivar e direcionar a nossa energia sexual de forma autónoma através de exercícios físicos e respiratórios, podemos não só fazer processos de auto-cura mas também alcançar diferentes tipos de prazer, entrando por vezes em estados elevados de consciência, experienciando orgasmos energéticos, que vão desde a ponta dos pés até à ponta dos cabelos (e atenção: não estou a exagerar!).

Enquanto a Sexologia é direcionada exclusivamente para tudo o que esteja relacionado com a sexualidade, o Tantra é uma disciplina que abrange muito mais e tem impacto em todas as esferas da nossa vida. É um modo de vida em que se aprende a valorizar o momento presente, e sobretudo a viver em prazer, nutrindo o nosso espírito no dia-a-dia.

EA - Já existem muitas mulheres que aceitam o Tantra e integram esta energia?

Alicia - Quando comecei a trabalhar nesta área estava no estrangeiro. Posso dizer que em alguns países já há uma grande abertura para o Tantra, contudo em Portugal, devido aos tabus, às crenças limitantes e ao pouco conhecimento que se tem sobre este tema, só recentemente começo a ver uma maior abertura e cada vez mais mulheres interessadas em explorar esta área. Este foi um ano de grande expansão, onde tive oportunidade de divulgar muito conhecimento sobre o tema através das lives que tenho feito no instagram (e disponíveis no meu canal de youtube) e sinto que de alguma forma tenho contribuído para a desmistificação do que é o Tantra, assim como para a importância de viver uma Sexualidade Consciente.

Cada vez mais mulheres estão conscientes do quanto a Sexualidade Feminina tem sido vista como um tabu ao longo dos últimos séculos, e da quantidade de bloqueios e crenças limitantes que à custa disso foram “instaladas” no nosso subconsciente – algo a que o projeto que criei “Despertar da Deusa Tântrica” dá resposta.

Quando a mulher está no seu caminho de autoconhecimento e se apercebe que isto é uma prioridade para ela, não só para trabalhar o seu amor-próprio, a sua autoestima, a sua autoconfiança, melhorar a sua autoimagem, mas também aceitar-se e conectar-se com o seu prazer, tanto a nível sexual como nas suas atividades de vida diárias – ganha coragem e dá um passo em frente sabendo que começará a caminhar para o seu Empoderamento como Mulher. 

E este é um verdadeiro caminho de transformação sem retorno! A partir do momento em que a mulher decide tornar-se a protagonista e o co-responsável por criar a sua própria realidade, não mais permitirá algum dia ser desvalorizada seja por ela mesma, seja por qualquer outra pessoa.

EA - Como reagem os homens ao Tantra?

Alicia - Antes de mais, não podemos desde já colocar todos uns homens numa mesma categoria, isso seria uma falácia. Dependendo do tipo de interesse que tenha, onde decide colocar a sua atenção e a sua energia, e dependendo também do seu nível de consciência – as reações dos homens podem ser variadas.

Há homens que têm uma crença errada sobre o Tantra e associam exclusivamente ao ato sexual, seja entre o casal, seja em grupo – o que os pode fazer ir em busca de encontros sexuais. Contudo, se tiverem a sorte de ter um(a) bom(a) facilitador(a), acabam por “tropeçar” inadvertidamente numa componente mais espiritual, mais autêntica e de reconexão consigo mesmos, assim como de respeito para com o outro, o que pode ser maravilhoso para ele.

Por outro lado, esta mesma crença pode trazer muito julgamento e ser o motivo pelo qual muitos homens se afastam e não se interessam pelo tema, sem se aperceberem de que estão a ser levados pelas crenças limitantes que têm, em grande parte inerentes ao patriarcado.

Para homens que estão no seu caminho de autoconhecimento e que estão atentos às suas crenças limitantes, acabam por se interessar pelo Tantra e permitem-se mergulhar neste caminho profundo de restruturação interna, de libertação e de expansão do seu próprio ser, tornando-se inevitavelmente homens mais confiantes, mais seguros, mais conectados consigo mesmos, mais maduros e mais conscientes da forma como vivenciam o seu papel de homem, restruturando inclusive o seu conceito do que é Ser Homem nesta sociedade.

Entrevista  Revista Espaço Aberto e Alícia Despertar Holístico



ARTIGO SUGERIDO

A Alma também nos conta histórias

A Alma também nos conta histórias

Cristina Leal
Por Cristina Leal em Dezembro de 2021
Tema Consciência / Publicado na revista Nº 24
180 visualizações

Em mim habita cansaço, Jesus. 

Cansaço de uma vida trilhada, transbordante de trilhos de ilusão. 

A credulidade é ...
Ler mais

OUTRAS LEITURAS

Ser vegan com sabor

Por Manuel Laranjeira
61 visualizações

Este livro ensina e demonstra que se pode ser vegan comendo com todo o prazer, sabor e sensação dos produtos tradicionais.

Não se destina apenas a veganos mas sim a todas as pessoas que ...
Ler mais