Silvana Correia

As Crianças de Plutão em Capricórnio - 2008 a 2024

Por Silvana Correia em Julho de 2021

Tema Desenvolvimento Pessoal / Publicado na revista Nº 21
648 visualizações

Os  construtores de uma Nova Sociedade, Nova Terra. 

Plutão ingressou no signo de Capricórnio a 26 de Janeiro de 2008, onde sairá a 18 de Novembro de 2024. Porém, importa referir que, de 14 de Junho a 26 de Junho 2008, devido ao seu movimento retrógrado, transitou por Sagitário. Em 2023, a 23 de Março de 2023, Plutão ingressará em Aquário, posteriormente fica retrógrado, retornando a Capricórnio a 11 de Junho de 2023, onde seguirá para Aquário definitivamente a 19 Novembro de 2024.  

Todas as crianças que nasceram entre as datas referidas, têm Plutão em Capricórnio. São crianças que escolheram encarnar aquando o “céu” de, Plutão em Capricórnio, e, assim sendo, “foi-lhes passado”, a “missão”, de fazer Nascer uma Nova Sociedade – é o Dharma de uma Geração. Serão os construtores e os “despertadores” para a premência da cooperação e da criação descentralizada das estruturas de poder que ficaram cristalizadas no velho – evolução da Era do Ter para a Era do Ser, Era de Aquário.


A força cósmica que estas crianças carregam, Plutão em Capricórnio, está impressa na psique, no inconsciente coletivo de uma geração. Vêm trabalhar temas que arquetipicamente Plutão e o signo de Capricórnio representam. No sentido de clarificar, importa apresentar o que arquetipicamente este corpo celeste e o signo de Capricórnio simbolizam. 

Plutão, é um planeta geracional, transpessoal,  ou seja, possui um movimento de metamorfose para além da visão pessoal e social, é uma visão planetária, universal. É o Deus do Submundo, do oculto, da morte e regeneração. Simboliza a sombra e o mais obscuro do inconsciente coletivo, lado negro da natureza humana. A energia de Plutão, encaminha-nos para processos muito profundos, somos virados de cabeça para baixo. Plutão movimenta-nos para o abismo, onde enfrentamos as piores partes de nós mesmos – individual e coletivamente. Reflete o submundo, uma realidade sombria, escondida pelo nosso ego e pelas normas sociais – véu que esconde os novos potenciais de evolução. Provoca crises e conflitos que nos podem tornar, como humanidade, muito maiores. Faz emergir temas que devem ser iluminados - rompe ilusões, em busca da verdade absoluta. Ele é a força, o poder. Destrói o que já não pode sustentar a nova forma de operar e sentir a vida tal como a vivemos – a Nova Consciência da Humanidade. É o processo da metamorfose da larva que se transforma em borboleta. Ele é vulcânico, é subterrâneo, fazendo cair o que pensávamos ser “seguro”, estável. Tem uma forma, uma força destrutiva, porém, ele é o fogo purificador da criação do Novo. Ele é a força vital criativa da natureza – uma Nova Natureza, Nova Terra. Ele é a purga do que tem que morrer para o novo renascimento.  

Capricórnio é um signo de terra. É tangível, é material, é a manifestação da realidade física, tornando-o muito pragmático e prático. Símbolo da ordem, da disciplina, da obediência, das regras, das leis sólidas que permitem que vivamos em sociedade. Integrado de uma forma adormecida, é rígido e comprometido de uma forma “cega” às hierarquias, e estruturas que nos fazem sentir “seguros” na Terra, na vida do coletivo. Representa como os indivíduos se organizam e se comportam na sociedade. São as bases “sólidas” que nos permite sentir em “segurança” neste mundo tangível, visível. A um nível coletivo, rege sistemas, hierarquias, figuras de poder, estruturas: sociais, económicas, religiosas, políticas. Tem a ver com as leis e regulamentos criados e que governam essas estruturas. 

A geração de Plutão em Capricórnio, são crianças e serão adultos que não se encaixarão nos sistemas rígidos e obsoletos. Viverão o planeta do poder, num signo conhecido por assumir a ordem estabelecida, essa “ordem” que será encaminhada para outro estágio de evolução – para uma Nova Ordem. Irão fazer remover, colapsar o que é limitador e estagnado nas estruturas de poder – políticas, sociais, económicas, religiosas. Abrirão espaço para novas estruturas que estão mais alinhadas com a Era de Aquário – Era do Ser - individualidade, liberdade, consciência coletiva, fraternidade, poder pessoal e espiritual. Terão voz, não aceitarão serem guiados por “falsos mestres”, por hierarquias que têm uma visão unilateral, do alto, por políticas definidas que não integram uma consciência social e ambiental – Mãe Terra.  Serão crianças que não aceitarão limites impostos, cristalização do velho, isolamento, serem manipuladas pelo medo, regras obsoletas que alimentam sistemas obscuros, sem uma visão do coletivo. Plutão fala do poder – pessoal, de instituições e de países. A geração de Plutão em Capricórnio, assumirão o seu poder, a sua autoridade interior e a sua responsabilidade pelo outro, pela humanidade. 


Podemos esperar mudanças mundiais gigantescas, de longo alcance a partir deles. O poder transformador de Plutão, sinalizando o final de uma Velha Ordem, para uma Nova Ordem, com base numa compreensão profunda da realidade material e pragmática, poder material – Capricórnio, a ser iluminado pela luz da transcendência de Plutão. Representarão o movimento da Fénix que renasce das cinzas. Essa emblemática ave de fogo mitológica. A ave que renasce da sua própria destruição, simbolizando o poder de nos transformarmos em seres mais conscientes de uma força motriz cósmica que movimenta a humanidade para graus de evolução inimagináveis, assumindo nosso poder pessoal e a nossa liberdade de ter uma voz. 

Porém, Plutão não assegura o renascimento, nem está preocupado que ocorra uma transformação, seria uma visão dual, contudo, é uma energia extremamente forte que despoleta destruição no sentido de ser possível renascer uma nova consciência do poder espiritual que permeia todo o nosso Ser, a vida,  tudo que existe, visível e invisível aos nossos olhos.  Este movimento de Plutão pelas terras resistentes de Capricórnio, seria como estarmos na praia e, perante um tsunami que se forma, não provocar mudanças, reações, despertares, consequências. Como afirma SriYuktéswar, mestre de Yogananda: ”Astrologia é o estudo das reações do homem aos estímulos planetários. Os astros não têm qualquer benevolência ou aversão consciente; eles meramente enviam radiações positivas ou negativas. O Ser Humano, pode transcender qualquer limitação, em primeiro lugar, porque possui recursos espirituais que não estão sujeitos à pressão planetária”. Na verdade, não somos vítimas, somos cocriadores de uma nova energia, de um novo Estado de Ser.

Estas crianças, em potencial, sentirão esse poder – coletivamente e pessoal, ligado a um poder espiritual que governa tudo no universo, a uma força maior. Não tem que ser sombrio, contudo, ele é revelador, transformador e integrativo. E é essa visão clara, de oportunidade, de força motriz para o novo,  que esta geração já carrega na sua psique, no seu BI Cósmico – serão os construtores de uma Nova Sociedade, Nova Terra. 

Silvana Correia



ARTIGO SUGERIDO

Perdidamente e de…

Perdidamente e de…

Jorge Almeida
Por Jorge Almeida em Novembro/Dezembro
Tema Desenvolvimento Pessoal / Publicado na revista Nº 17
535 visualizações

Envolto de um sorriso cálido, da deidade da obscuridade sinistra,

Sussurrou, pelo silêncio das mandrágoras arrancadas da terra ...
Ler mais

OUTRAS LEITURAS

O Livro Sagrado de Takumah

Por Carlos Carvalho
119 visualizações

"Todo este trabalho é direcionado à Humanidade do Planeta Terra.

Este livro compõe-se do instante existente nos meus diários ...
Ler mais